Maurício Borges fala de apelido dado por Douglas Souza: “todos me chamam de Georges agora”

0
163

Nesta quinta-feira (22) a seleção masculina de voleibol brasileira disputa a sua primeira partida nas Olimpíadas de Tóquio 2021 contra a Tunísia. A expectativa não poderia outra, o time vive momento de fama e glamour nas redes sociais. Tudo graças o camisa 14, Douglas Souza.

E para o ponteiro veterano Maurício Borges, parceiro de Douglas dentro e fora de quadra, a atenção que o seu colega de quarto tem atraído é muito boa para o time. Pelo menos foi isso que ele disse em conversa com a GQ Brasil, que também entrevistou a esposa do camisa 5, Fabianny Gouveia.

“A sensação do momento é o Douglas, não sou eu [risos] É muito bom que o brasileiro esteja assistindo mais o esporte, torcendo pelo Brasil”, comenta o atleta, que divide quarto com Douglas desde 2016, quando aconteceu as Olimpíadas no Rio.

Maurício foi carinhosamente apelidado de “Georges” pelo parceiro, e segundo conta Faby, mãe do Enrico e da Valentina, o apelido já está pegando. “Principalmente nas redes sociais”, diz ela.

Apesar do momento especial, a família não pode estar reunida. Por conta da Covid-19, as Olimpíadas tiveram que ser adaptadas. O jeito que o casal encontrou de se reunir, e Maurício de ver os filhos, foi ajustando o fuso horário. A gente se fala mais quando eles estão indo dormir e quando estou acordando”, afirma o jogador.

Assunto do momento

GQ: Maurício como está sendo para você a repercussão dos vídeos? Muita gente anda te seguindo? Como é a sua personalidade e como é essa interação entre você e o Douglas? Você brinca também ou é mais quieto?

M: Gravamos alguns vídeos e viralizou. A gente acordou com um boom. Vários famosos falando com ele, seguindo… foi bem legal e ficamos muito surpresos. Dividimos quarto desde 2016. E brinco sim, com certeza, fora das câmeras… eu sou desse jeito meio tímido, mais na minha e meio quieto, mas a gente brinca.

GQ: E você Faby, esperava ver o marido com toda essa popularidade? Conta pra gente um pouco mais sobre essa amizade rs.

F: Não esperava… o Maurício e o Douglas geralmente compartilham o mesmo quarto. Lembro de uma viagem de Douglas (ele ainda não era da mesma seleção), e ele estava no Egito e Douglas postou uma foto dele nesse país “até aqui ele ta comigo”. Acho que Maurício por ser uma pessoa muitooo tranquila e vibes boa, encaixa perfeito com Douglas! E eu confesso que to amando ver eles juntos, tenho dado muita risada!

Eu lembro do Mauricio e do Douglas juntos desde 2015, acho que ele (Douglas) estava chegando na seleção adulta e acredito que Maurício foi um bom companheiro pra ele ali, e acho que tem sido assim nos bastidores desde então. Essa última temporada a gente não pode conviver o quanto queríamos, por causa da pandemia, cheguei a ver o namorado do Douglas com quem tenho uma amizade, mas não conseguiamos encontrar com muita frequência pelos cuidados que esse ano inspirou! Quando acabou a temporada pelo Taubaté descobrimos que ambos estavam indo jogar no mesmo time na Itália e eu e o Gab (namorado do Douglas) combinamos de fazer mais coisas juntos se tudo melhorar.

GQ: Esse apelido que o Douglas deu para você, Maurício, “Georges”, de onde surgiu?

MAh cara esse apelido… já faz um tempinho já, mas já pegou né, não tem como… todos estão me chamando de Georges agora [risos].

GQ: O que você acha de “Georges”, Faby?

F: Eu comecei a notar o Douglas chamando ele de Georges e não entendia… mas achava criativo! Hahhaa eu gosto! Um dia perguntei e o Mau disse “não sei, ele me chama assim”, acho que ele troca o “B” de Borges por “JORGESSSS” e acabou virando “Georgess”. Acho que vai pegar sim [risos]. Já vejo muitas pessoas o chamando assim, principalmente nas redes sociais.

GQ: Vocês são, até o momento, a sensação da olimpíada no Brasil. Você acha que esse tipo de atenção se converte em torcida? Acha positivo?

M: A sensação do momento é o Douglas, não sou eu [risos] mas com certeza traz atenção sim, e é muito bom  que o brasileiro esteja assistindo mais o esporte, torcendo pelo Brasil”.

Relacionamento e família

Família de Maurício Borges (Foto: Instagram/Reprodução)
Família de Maurício Borges (Foto: Instagram/Reprodução)

GQ: Como está sendo o contato de vocês? As crianças já entendem a responsa do papai na Olimpíada?

M: O contato com eles é sempre que dá, porque os horarios não batem. A gente se fala mais quando eles estão indo dormir e quando estou acordando. Falo com eles todos os dias, e as crianças são bem novinhas. Valentina tem 4 e Enrico 2, eles entendem… a Vale entende um pouco mais, o Enrico é muito novinho.

F: Ambos assistem aos jogos “brincando”, mas sabem os nomes dos titios e gritam muito pelo papai e pelos tios quando os assistem na TV, vibram! Apesar de não entenderem bem a importância e a história que esta sendo escrita a cada jogo, eles vibram com vontade e apoiam sempre ao papai e aos titios!

Eu tento explicar pra Vale principalmente quando ela esta praticando esporte, ela faz tênis, o quanto é importante na vida de um atleta como o pai dela o que ele esta vivendo hoje e que futuramente ela entenderá mais, é sempre incentivo ela no esporte que ela escolher, mostrando o pai dela como referência.

GQ: Faby, a Valentina e o Enrico se adaptam bem à rotina agitada do Maurício?

F: Valentina é uma criança muito abençoada e sociável, onde ela chega ela consegue fazer amizade, não tem frescura… foi um ano de muitas mudanças na vida dela, mudou de escola duas vezes em um ano e estamos indo pra terceira (quando acabar a olimpíada e a gente for pra Itália), e acredito que pra qualquer mãe exista uma preocupação muito grande nessas mudanças mas no meu caso, fico tranquila porque é uma criança muito adaptável e abraça as oportunidades que tem. O Enrico é mais ativo, não para um minuto.

FONTE: GQ